domingo, 13 de setembro de 2009

,

Taís Araújo e Alinne Moraes serão rivais em 'Viver a vida'

Num canto do ringue está Helena (Taís Araújo), uma top model de renome internacional que, no auge da carreira, se encanta por Marcos (José Mayer), um homem mais velho, com quem acaba se casando. Do outro, está Luciana (Alinne Moraes), uma jovem mimada, que começa a trabalhar como modelo sonhando com o sucesso já conquistado por Helena. O embate entre as duas se instala porque Luciana é ninguém menos que a filha mais velha de Marcos, e que morre de ciúmes do pai.
Esta é a trama que vai dar o pontapé inicial nos conflitos de “Viver a vida”, a nova novela das oito, escrita por Manoel Carlos, com direção-geral de Jayme Monjardim e que estreia amanhã. Movida a inveja, e tendo como pano de fundo o glamouroso e cruel mundo da moda, ela vai colocar em lados opostos duas das mais belas atrizes da TV: Taís Araújo e Alinne Moraes. Na pele de Helena e Luciana, respectivamente, cada uma delas terá um desafio grandioso pela frente.
A primeira Helena negra
Depois de se tornar a primeira atriz negra a protagonizar uma novela brasileira (“Xica da Silva”, na Manchete, em 1996) e também uma novela da Globo (“Da cor do pecado”, em 2004), Taís vai quebrar mais um tabu. Aos 30 anos, terá seu nome gravado na história da teledramaturgia nacional como a primeira negra a protagonizar uma novela das oito. E, de quebra, levará, ainda, o título de “primeira Helena negra de Manoel Carlos”. A célebre personagem, mulher forte e contraditória, invariavelmente chamada de Helena, é uma marca registrada nas tramas do autor — e já foi vivida por estrelas como Lilian Lemmertz, Maitê Proença, Vera Fischer, Christiane Torloni e Regina Duarte.
— É uma responsabilidade, claro que é. Protagonista de novela das oito já é, ainda mais quando se trata de uma Helena do Manoel Carlos, um clássico da TV, quase um personagem-fetiche — afirma a atriz: — Mas fiquei tão feliz com a oportunidade que nem penso nesse peso do papel.
Além de tudo isso, a Helena de “Viver a vida” é uma supermodelo das passarelas — profissão que Taís nunca desempenhou e que lhe exigiu esforço extra. Dona de curvas bem brasileiras, ela teve que suar para emagrecer e, assim, convencer como uma top. Aliou exercícios a uma dieta prescrita por um endocrinologista.
— Fechei a boca e saí correndo — conta a atriz, que começou a se preparar para o papel em março: — Montei praticamente uma operação de guerra. Detesto academia, mas vou malhar às 6h, 7h da manhã, antes das gravações. Além disso e do endocrinologista, comecei a fazer todos os tratamentos de beleza que eu apresentava no programa “Superbonita”, do GNT, e nunca tinha feito.

Alinne ficará tetraplégica
Para não fazer feio na passarela, ela também teve aulas com o instrutor do programa “Brazil’s next top model” (Sony), Namie Whiby — que não impediram, porém, escorregões nas gravações de desfiles que vão aparecer na trama. Alinne, por sua vez, não precisou de aula, não escorregou nenhuma vez, e também não teve que perder peso. Modelo desde os 12 anos, a atriz — hoje aos 26 — está acostumada com os flashes e passarelas e tira de letra as cenas de desfile. Seu desafio em “Viver a vida” é outro.
No meio da novela, sua personagem sofrerá uma mudança radical: depois de um acidente de carro numa viagem à Jordânia, Luciana ficará tetraplégica. Para dar vida a uma deficiente física, que se locomove em cadeira de rodas, Alinne vem se preparando há cinco meses, com a ajuda da professora de interpretação Patrícia Carvalho e de pessoas que vivem a mesma realidade da personagem.
— Existem vários níveis de tetraplegia. A Luciana consegue se mexer um pouco. Ela tem toda a sensibilidade, o que não tem é o comando — explica a atriz.
Apesar da complexidade do trabalho, Alinne — que recebeu elogios por seu último papel, a vilã Sílvia de “Duas caras” (2007) — esbanja segurança.
— Acho que estou totalmente preparada para fazer a Luciana — assegura ela.


Reações:

Um comentário: