segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Produzindo um DESFILE ______☺______




Muito glamour, beleza, corpos esbeltos, maquiagem e cabelos impecáveis de acordo com a tendência da moda e platéia curiosa com os desfiles que costumam acontecer a cada nova estação do ano.
Mas o trabalho desenvolvido antes da concretização dos desfiles pouca gente conhece. Buscar apoio, patrocínio, contactar lojas, selecionar o casting de modelos, os profissionais do staff... São tantos os detalhes que são necessários vários meses em busca da perfeição para o grande dia.
E para produzir um evento deste estilo, dedicação e gosto por moda são essenciais. Segundo os produtores de moda, João Paulo Braga e Diogo Augusto , a movimentação para o desfile de inverno 2007, que aconteceu no dia 13 de abril, começaram em dezembro do ano passado. "são muitos detalhes", lembra João Paulo.
Depois de fechadas as lojas, eles partem para a escolha das peças que vão mostrar as tendências. "O diferencial é a assessoria na produção, que nenhum outro evento tem", diz João, que juntamente com Diogo, vai até o lojista para escolher as melhores roupas para o desfile. "É quase um serviço de personal stylist", completa Diogo.
Em Juiz de Fora, os produtores comentam que "normalmente, os desfiles são comerciais, a moda como show não tem espaço na cidade é o enfoque principal são as vendas". João completa, dizendo que "as pessoas assistem aos desfles e depois querem ir direto para a loja comprar o que viram na passarela".
No dia do desfile, os dois produtores recebem a ajuda do staff, profissionais escolhidos por ele para dar os últimos retoques ao evento. "A gente chega umas dez horas antes do horário marcado para começar".
Separar as roupas, os sapatos, fazer a maquiagem de todos os modelos e até chamada é feita minutos antes de entrarem na passarela para que tudo ocorra bem.
A verificação do som, que vai dar o compasso, distribuir os panfletos das lojas participantes pelas cadeiras onde o público vai se acomodar, e fazer de tudo para começar na hora marcada, para que todos possam ver as tendências do começo ao fim.
Eles contam que a intenção foi mostrar o produto de lojas que, normalmente, não participam de desfiles de moda. "Cada loja tem um estilo diferente e público diferente e mesmo sendo um desfile de inverno, vai ter sunga, bermuda, lingerie e roupa íntima masculina", diz João Paulo, que dá as últimas coordenadas para os modelos (foto à direita, acima) antes de desfilarem.
Entra modelo, sai modelo e a correria para a troca de roupas vai até o fim do desfile, mas o frisson permanece mesmo depois do evento para João Paulo Braga, que precisa saber qual foi a visão dos espectadores. A partir destas informações, é possível descobrir os pontos altos e baixos do acontecimento.
E para quem acha que analisados os prós e contras, o trabalho acabou, se engana. Antes mesmo da segunda edição do Juiz de Fora Fashion acontecer, João Paulo e Diogo revelaram que a terceira edição, desfile verão 2008, já está com metade da produção fechada. "A previsão é de que aconteça durante dois dias em vez de um, em setembro", comentam. E entre as edições, eles já organizam um bazar de moda também.
By:Léo Téofilo
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário